Alexandre França Pires

Epidemiologia de Sclerotinia sclerotiorum e Sclerotium rolfsii, no município de Curitibanos, Santa Catarina

 

Resumo:

As espécies de fungos Sclerotinia sclerotiorum e Sclerotium rolfsii, conhecidos popularmente como mofo-branco, ocorrem em todas as regiões de produção agrícola no mundo. A principal característica desses patógenos é a produção de micélio algodonoso de coloração branca e o desenvolvimento de massas compactas de hifas conhecidos como escleródios. As principais formas de controle dessas espécies são: o controle químico, o controle biológico e o controle cultural. Porém, devido aos escleródios permanecerem no solo por até 11 anos conservando intacto o poder patogênico, o controle é considerado difícil. Diante disso, conhecer os fatores ambientais que influenciam nos patógenos é de suma importância, pois através desse conhecimento é possível estabelecer estratégias de instalação e condução das culturas com a finalidade de criar condições que desfavoreçam o desenvolvimento do patógeno. Diante disso, o intuito do trabalho é avaliar os efeitos de fatores abióticos que podem influenciar na inibição e na proliferação de S. sclerotiorum e S. rolfsii, no município de Curitibanos, Santa Catarina. Serão avaliados os efeitos da temperatura, luminosidade, pH, umidade, nitrogênio e potássio, em experimentos de laboratório, pela medição da área abaixo da curva de crescimento micelial e do índice de velocidade de crescimento micelial. Também será avaliado o progresso espacial e temporal das doenças, em experimentos de campo, pela quantificação da incidência e dos padrões espaciais pela análise de sequencias ordinárias.

 

Data e horário da apresentação pública do Projeto de Dissertação: 30/08/2017 as 08:30 h

Local: sala CRC 305